INEGI desenvolve sistema para combater a contrafação de vinhos

16-11-2018
Tornar a verificação da autenticidade de um vinho mais fácil para retalhistas ou para o consumidor final, mesmo antes de o consumir. É esta a necessidade que leva o INEGI a desenvolver o primeiro sistema de autenticação de garrafas, que utiliza a textura natural da cortiça para prevenir a contrafação de vinhos. Uma tecnologia para a qual já submeteu um pedido internacional de patente.

O projeto inovador intitulado CorkID “funciona como uma impressão digital para a cortiça. Permite, através do reconhecimento e processamento de imagem de uma rolha de cortiça (natural ou aglomerada) de uma garrafa, autenticar ou detetar fraudes com assertividade”, explica Ana Reis, Diretora da área de Tecnologias Avançadas de Fabrico do INEGI e responsável pelo projeto.

O sistema de anti-contrafação começa pela fase de registo em que, durante o processo de engarrafamento, uma câmara captura uma imagem da superfície superior da rolha de cortiça e regista-a numa base de dados. Posteriormente, desenvolve-se a fase de verificação, que permite ao consumidor ou retalhista autenticar uma garrafa antes de abri-la, usando uma câmara de smartphone para tirar uma fotografia da rolha. A imagem é então enviada para a base de dados, onde o sistema de reconhecimento procura uma correspondência e notifica o utilizador se é um produto com ou sem registo.

A contrafação de vinhos e bebidas espirituosas no mercado global representa um problema crescente, que regista maior incidência nos produtos europeus. Segundo o Instituto da Propriedade Intelectual da União Europeia (EUIPO), a contrafação de bebidas espirituosas na União Europeia representa para o setor um custo aproximado de 1,3 mil milhões de euros anualmente, e 2,7 mil milhões de euros em vinhos.

INEGI
Universidade do Porto
CONTACTOS E LOCALIZAÇÃO
Linkedin Facebook Youtube Twitter
© INEGI 2011 | Política de Privacidade